Saúde: injeção de 1.400 milhões de euros não resolveu dívida em atraso dos hospitais do SNS

Dos 1.103 milhões em dívida no final de dezembro de 2017, foram apenas liquidados 265 milhões, menos do que noutras iniciativas semelhantes de injeção de capital para resolução da dívida ocorridas em anos anteriores.

O aumento de capital estatutário dos hospitais em mais de 500 milhões de euros, decidido pelo Governo em janeiro deste ano, não permitiu saldar as dívidas dos hospitais em atraso há mais de 90 dias, como anunciado pelo ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes.

Dos 1.103 milhões em dívida no final de dezembro de 2017, foram apenas liquidados 265 milhões, menos do que noutras iniciativas semelhantes de injeção de capital para resolução da dívida ocorridas em anos anteriores.

Recorde-se que, no final de dezembro do ano passado, Mário Centeno anunciou uma injeção extraordinária de 1.400 milhões de euros, para saldar dívida e pagamentos em atraso na Saúde, dos quais 500 milhões de euros seriam utilizados para a capitalização dos Hospitais EPE (Empresa Pública Empresarial), feita ainda em 2017, e que, de acordo com o ministro das Finanças seria utilizada no início de 2018.

O Relatório Síntese de Execução Orçamental referente a dezembro de 2017, elaborado pela Direção Geral do Orçamento, mostra agora que o saldo da dívida em janeiro se fixou em 572 milhões de euros, mais 28 milhões do que em dezembro de 2016 e mais 12 milhões do que em igual período de 2015.

A redução agora verificada, inferior à registada em anos anteriores, faz temer que a dívida venha de novo a disparar em 2018, podendo superar mesmo a média mensal de crescimento de 48 milhões de euros.

Fonte: Saude Online

Comentários Facebook

You may also like...