Miguel Sousa Tavares esteve, esta terça-feira, no ‘Jornal da Noite’ da SIC para comentar os casos que marcaram a última semana noticiosa.

No dia em que se realizou, na Assembleia da República, a conferência ‘Violência no Desporto’, Miguel Sousa Tavares disse, na antena da SIC, que considera “extraordinário” que tanto Luís Filipe Vieira como Bruno de Carvalho tenham sido convidados a discursar.

Isto porque, explicou, o primeiro é presidente do “único clube que tem claques não legalizadas, ao contrário do que manda a lei”, e que “finge que as claques não existem”.

“[Os elementos das] claques estão há vários anos indiciados nos relatórios da PSP como estando ligados ao crime violento e à extrema-direita. Acho extraordinário que os deputados não perguntem isso ao presidente do Benfica”, acrescentou.

Nesta senda, Sousa Tavares mudou a mira e centrou-se no presidente do Sporting, considerando também “extraordinário” que Bruno de Carvalho tenha sido chamado a participar na conferência depois de ter passado uma semana a “insultar o presidente do SC Braga, clube com o qual ia jogar”.


“Chamou-lhe tudo e acho extraordinário que os deputados não fizessem perguntas sobre se isto não é incitamento à violência”, atirou, revelando aquela que é a sua opinião a respeito do dirigente leonino: “Em minha opinião, Bruno de Carvalho está a mais no futebol português e acho extraordinário que ainda se permitam convidá-lo para ir à Assembleia e lhe deem palco e microfone para dar sentenças sobre violência no futebol português depois de ter passado uma semana a incitar à violência, o que não aconteceu porque os adeptos são melhores do que ele”.

Fonte: Noticias ao Minuto

Comentários Facebook