O coletivo de juízes de Braga deu como provado o crime de abuso sexual. Mas decidiu aplicar pena suspensa por causa da ausência de antecedentes criminais do réu.

No acórdão pode ler-se que o homem, professor, forçou uma aluna a atos sexuais de relevo repetidamente, na escola e em casa, durante as explicações.

A sentença foi de quatro anos e meio de prisão com pena suspensa e uma indemnização de dez mil euros.

Fonte: RTP

Comentários Facebook