Mata mulher a tiro com filho em casa e escapa à GNR

O homem que é suspeito de ter assassinado, esta terça-feira, a mulher continua a monte. A GNR tem empenhadas várias patrulhas de diferentes valências na missão de localizar o alegado homicida. GNR envia mensagem a homicida: “Entregue-se, precisa de apoio”.

O tenente-coronel Armindo Henrique fez, ao final da tarde, um ponto de situação sobre o homicídio que teve lugar esta manhã com alerta pelas 7:35h, numa habitação em Ervedal na localidade de Quiaios, na Figueira da Foz.

O responsável revelou que o alegado homicida José Figueiredo de  53 anos usou arma de fogo para matar a sua mulher Jaqueline Margato de 48 anos, José não é conhecido por “atos violentos”, com a vizinhança a considerá-lo, inclusivamente, uma pessoa “calma”.

Desconhecem-se as circunstâncias em que o crime aconteceu, mas sabe-se, no entanto, que o suspeito utilizou uma arma de fogo e disparou sobre a vítima. Ainda foram tentadas várias manobras de reanimação, mas o óbito da mulher acabou por ser confirmado no local.

O corpo da vitima foi encontrado à entrada da casa, no quintal, e, de acordo com as autoridades, terá sido atingido com pelo menos um tiro no peito.

Por essa razão, o tenente-coronel pediu às pessoas para “não entrarem em pânico” e, através da televisão, endereçou uma mensagem ao suspeito que sofre de problemas do foro psicológico: “A sua família está preocupada, o senhor precisa de apoio, entregue-se”.

A GNR entrou na residência pelas 15h20 e verificou que o suspeito não se encontrava no interior da habitação. “Apurou-se ainda que as armas pertencentes ao suspeito (duas caçadeiras) encontravam-se na habitação, assim como outras duas propriedade de um familiar”, avançam em comunicado.

O facto de o alegado homicida ser caçador de javalis e, por isso, conhecer bem a zona de mata e floresta poderá revelar-se um problema, com o tenente-coronel a reconhecer que “pelas suas capacidades vai dificultar a tarefa dos militares” que estão no terreno.

Recorde-se, que o alerta foi dado por volta das 7h35, pelo filho mais novo do casal que estava em casa no momento do homicídio.

“Ela estava a dar comida às galinhas. O filho é que ouviu o tiro e foi à procura e já só viu a mãe morta no chão. Diz que olhou para trás mas já não viu o pai, não viu nada. (…) Nunca os vi ralhar, sempre se deram bem. Ele já se tentou matar e agora aconteceu isto, não sei”, contou uma vizinha à CMTV.

O marido da vítima é o principal suspeito e fugiu a pé logo após ter feito um disparo na direção do peito da mulher. Segundo a GNR não terá tido tempo de levar mantimentos consigo, não se sabendo se está armado ou não.

Fonte: Notícias ao minuto/CMTV

Comentários Facebook

You may also like...